terça-feira, 1 de agosto de 2017

VEJA ESSA NOTÍCIA.

Gaeco investiga policiais civis envolvidos em suposta extorsão a contrabandistas no Paraná.
Resultado de imagem para GAECO
Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) investiga um grupo de policiais civis da Delegacia de Estelionatos e Desvios de Cargas de Curitiba (Dedc), que são suspeitos de exigir propina de contrabandistas. Na sala do superintendente da unidade, os investigadores do Gaeco encontraram uma arma e cerca de R$ 25 mil, em dinheiro, nesta segunda-feira (31).
De acordo com uma denúncia anônima, os policiais da Dedc pediram dinheiro para liberar um caminhão carregado com produtos contrabandeados do Paraguai. Os agentes também soltaram um homem que deveria ter sido preso na operação que encontrou o veículo, segundo o Gaeco.
O Gaeco diz que a carga foi encontrada em uma chácara, na Região Metropolitana de Curitiba. O suspeito teria sido solto no dia seguinte à operação.
"A notícia inicial é de que teria sido pago R$ 35 mil para a liberação dessa pessoa que teria sido presa. E na sequência estariam negociando cerca de R$ 100 mil para a liberação de uma carga ilegal que teria sido encontrada. Esses R$ 35 mil teriam sido pagos já na semana passada. E a primeira parte dessa negociação da carga teria sido paga hoje", diz o promotor Denilson Soares.
Ainda conforme o Gaeco, a delegacia não tinha nenhum registro oficial de que a operação tenha sido realizada. No entanto, no pátio da unidade, havia um carro com placas do Paraguai, que, conforme a denúncia, foi usado para escoltar o caminhão com o contrabando.
Em nota, a corregedoria da Polícia Civil informou que vai abrir um procedimento administrativo para investigar o caso. Segundo a corporação, um policial foi afastado das funções que o inquérito seja concluído. Se ficar comprovada a participação dos policiais, eles podem ser punidos com a perda dos cargos, além dos processos criminais que responderão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

o