segunda-feira, 7 de agosto de 2017

TEIXEIRA SOARES,



Polícia investiga suspeita de trabalho escravo em fazenda de erva-mate.
Resultado de imagem para LAVOURA DE ERVA MATE E
Policiais ambientais flagraram uma situação de suposto trabalho escravo em Teixeira Soares, na região central do Paraná, neste fim de semana. Três homens foram presos e apreendidas ainda várias armas e uma pele de quati. O grupo disse que havia sido contratado para a colheita de erva-mate em uma fazenda da cidade.
Segundo o delegado Rodrigo Cruz, a suspeita de trabalho escravo será apurada por meio de um inquérito civil e o proprietário da fazenda pode ser indiciado pelo crime. Ele será intimado para prestar esclarecimentos.
Os trabalhadores disseram à polícia que geralmente trabalham na colheita e que costumam acampar na reserva por cerca de 15 dias. “Eles tinham rendimento, mas as condições de instalação dos funcionários é análoga ao trabalho escravo”, comentou ao adiantar que fará a denúncia ao Ministério do Trabalho para que uma perícia seja feita no local.
A polícia chegou até o local após uma denúncia de caça. Eles constataram que o grupo dormia em camas improvisadas, tomava água em um córrego e vinha comendo alimentos mal conservados. Os suspeitos disseram que o quati abatido serviu de almoço.
Os três homens foram conduzidos pela Polícia Ambiental à delegacia da Polícia Civil por porte e posse irregular de arma de fogo. Eles pagaram fiança de um salário mínimo cada e vão responder em liberdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

o