quarta-feira, 2 de agosto de 2017

IVAIPORÃ

Departamento de Meio Ambiente reforça que descarte irregular de lixo é crime

Entre os meses de fevereiro e julho, a Prefeitura de Ivaiporã, por meio do Departamento Municipal de Meio Ambiente, autuou infratores por despejo clandestino de lixo. No que se refere ao despejo de lixo e resíduos hospitalares em terreno baldio, o diretor do Departamento de Meio Ambiente, Jayme Ayres, reforçou que se trata de infração grave podendo ser enquadrado como Crime Ambiental. Recentemente, foi identificado descarte clandestino de lixo na estrada do Ouro Verde, em Ivaiporã. Um dos infratores foi identificado e notificado para retirar os resíduos de acordo com a Lei dos Crimes Ambientais (Lei 9.605). Fiscais do Departamento de Meio Ambiente também identificaram descarte clandestino de lixo na estrada entre Ivaiporã e o distrito do Jacutinga. “O Departamento de Meio Ambiente, o Setor de Serviços Urbanos e respectivos fiscais estão em alerta. Mas precisa da colaboração da população, que pode denunciar e manter a identidade em sigilo absoluto”, informou Jayme Ayres. Outro caso de descarte clandestino também foi registrado pelo Departamento de Meio Ambiente. Tratava-se de restos de viveiros de frango numa mata próxima à área urbana de Ivaiporã. Jayme Ayres disse que os infratores foram identificados e alertou que se trata de crime ambiental por prejudicar o meio ambiente e a saúde humana. E, pensando na preservação ambiental, o Departamento de Meio Ambiente e o Setor de Serviços Urbanos concluíram outra trincheira no Aterro Sanitário, preparado com geomembrana para conter o chorume e dispensação de gás, onde são depositados resíduos sólidos urbanos, totalizando 22 mil quilos por dias. Ações de conscientização - 
Além de agir em caso de suspeita de crime ambiental, o Departamento de Meio Ambiente roçou o Campo do Araçá e a Associação de Moradores do Jardim Luiz XV, e limpou o canteiro central na Avenida Osvaldo Cruz, onde será plantada a grama. Ivaiporã também se destaca cada vez mais na esfera federal com programas ambientais. Jayme Ayres explicou que, no Brasil, 82% dos municípios não fazem a separação de lixo, o que é essencial para a reciclagem eficaz do lixo produzido por uma pessoa ou empresa. Em 2016, o Centro de Triagem, Compostagem e Reciclagem de Ivaiporã, que recebia 4 toneladas, passou para 17 toneladas por dia. O destino correto dos fios de cabelos que, somados ao final do dia em salões de beleza ou barbearias, chega a um volume considerável, também é monitorado pelo Departamento de Meio Ambiente. Jayme Ayres lembrou que cada estabelecimento deve ter contrato com uma empresa especializada na coleta, transporte e destino final, conforme regulamente a Lei Federal 12.305/2010. Além das ações de fiscalização, o Departamento de Meio Ambiente atendeu mais de 500 estudantes com atividades relacionadas ao programa Consciência Ambiental – incluindo crianças do grupo de Catequese, que percorreram a Trilha Ecológica e tiveram aulas sobre Meio Ambiente, Lixo, Reciclagem e Botânica, e estudantes do Colégio Estadual Professora Reni Correia Gamper, que vieram de Manoel Ribas. Paralelamente às atividades, o Departamento de Meio Ambiente emitiu mais de 500 pareceres ambientais em procedimentos de emissão de alvarás de funcionamento de oficinas, marmoraria, postos de combustíveis, clínicas, lanchonetes, entre outros, visando à qualidade de vida e do meio ambiente. W.Jhones\

Nenhum comentário:

Postar um comentário

o