sexta-feira, 7 de julho de 2017

PARANÁ

Dos 399 municípios do Paraná, 223 devem perder população, até 2040

De acordo com projeção do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), divulgada nesta quinta-feira (6), até 2040, haverá perdas populacionais em 223 municípios, em paralelo a ganhos em 176 cidades. Dos 223 municípios que perdem população, 142 têm até 10 mil habitantes e 62 têm de 10 mil a 20 mil habitantes.
“É preciso notar, porém, que a perda de população não quer dizer perda de dinamismo econômico. Juntos, esses 204 municípios representam 38,6% do PIB agropecuário do Estado”, diz o diretor de pesquisas do Ipardes, Daniel Nojima.

Do lado dos 176 municípios que ganham população, 61 têm menos de 10 mil habitantes; 47 possuem 10 mil e 20 mil, e 37 entre 20 mil e 50 mil. O número de cidades com mais de 100 mil habitantes passa de 18 para 24 em relação ao ranking de 2010. Passam a integrar esse grupo, cidades como Cambé (108.452), Francisco Beltrão (108.017), Sarandi (107.880), Fazenda Rio Grande (148.617), Cianorte (107.224) e Piraquara (162.122). 

GRANDES CIDADES - Entre as grandes cidades, Curitiba alcançará 1,95 milhão de habitantes em 2014, seguida por Londrina (628.600), Maringá (552.686), São José dos Pinhais (469.573), Ponta Grossa (386.947) e Cascavel (377.664).

As projeções ainda indicam uma maior concentração populacional na região de Curitiba e de Londrina e Maringá. 

O estudo estima um aumento da participação da mesorregião de Curitiba, que em 2010 representava 33,5% do total da população no Estado, e em 2040 deverá representar 36,6%. Já a mesorregião do Norte Central Paranaense deve passar, na mesma base de comparação, de uma participação de 19,5% para 20,6%.

O Paraná passará dos atuais 11,243 milhões habitantes para 12,208 milhões de habitantes até 2040, de acordo com projeção do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), divulgada nesta quinta-feira (6). A população deve atingir a marca de 12 milhões de pessoas ao final da próxima década e ficar praticamente estável nos 10 anos seguintes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

o