sexta-feira, 30 de junho de 2017

VOCÊ SABIA

Presidenciáveis têm rejeição acima dos 50% em pesquisa

O Instituto Ipsos publicou nesta quinta-feira um levantamento que, entre outros dados, mostra a popularidade de possíveis presidenciáveis da eleição de 2018: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o prefeito paulistano, João Dória Jr. (PSDB), o senador José Serra (PSDB-SP), o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), a ex-senadora Marina Silva (Rede) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-JR).
Líder das intenções de voto, conforme o mais recente Datafolha, com 30% da preferência, Lula é o postulante ao Planalto mais popular na pesquisa Ipsos, com 28% de aprovação. Abaixo do petista no quesito popularidade aparecem Marina (21%), Doria (16%), Bolsonaro (15%), Alckmin e Ciro (12% cada) e Serra (11%).
Todos eles, conforme o instituto de pesquisas, têm índices de desaprovação acima dos 50%. O mais impopular é José Serra, rejeitado por 79% dos brasileiros, seguido por Geraldo Alckmin (71%), Lula (68%), Marina Silva (62%), Ciro Gomes (55%), Jair Bolsonaro (54%) e João Doria (52%).
Gomes foi o possível presidenciável que mais teve respostas “não sei/não tenho conhecimento para avaliar”, com 33%. Depois dele vêm Doria (32%), Bolsonaro (31%), Marina e Alckmin (17% cada), Serra (10%) e Lula (4%).
Ventilados como possíveis candidatos, embora não assumam abertamente a intenção de entrar na corrida ao Planalto, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosae o apresentador de TV Luciano Huck também foram avaliados. 
Barbosa é aprovado por 42% dos brasileiros e rejeitado por 37%, conforme o Ipsos, enquanto Huck tem aprovação de 44% e rejeição de 39%. Não sabem ou não têm informação suficiente para avaliar o ex-ministro 22%, número que é de 18% para o apresentador.
Também incluído na pesquisa, o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em primeira instância, tem rejeição de 28% e aprovação de 63%. Apenas 9% disseram que não sabiam responder ou não tinham conhecimento suficiente para fazê-lo.
O Ipsos entrevistou 1.200 pessoas em 72 municípios em todo o país entre os dias 1º e 13 de junho. A pesquisa tem margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos.
de VEJA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

o