sexta-feira, 9 de junho de 2017

SETOR POLICIAL

Homem de 22 mata amante grávida de 40

Mulher teria se recusado a abortar. Redação

Sangue ilustração (Foto: Reprodução)
Mais um caso de feminicídio envolvendo um homem casado que mata a amante grávida que não queria fazer um aborto. Depois de um caso que aconteceu no interior de São Paulo, em abril, agora foi a vez de acontecer um caso similar em Santa Isabel, também em São Paulo.

O crime aconteceu na noite de quarta-feira, 7. A balconista Elisânia da Conceição Leal, de 40 anos, grávida de dois meses, foi assassinada pelo amante, um homem casado, porque se negava a fazer o aborto. O acusado, César Aparecido, de 22 anos, disse que sua mulher também estava grávida e ele temia ser abandonado por ela. Elisânia foi morta com golpes de martelo e uma facada no pescoço. As informações são do Estadão.

O próprio suspeito ligou para a polícia afirmando que tinha sido vítima de assalto e culpou os supostos assaltantes pela morte da mulher. De acordo com a Polícia Civil, os policiais militares receberam a ligação de um homem informando que havia sido vítima de sequestro e obrigado a dirigir até uma estrada rural, onde os bandidos o fizeram matar uma mulher.
Os policiais localizaram o suspeito e foram até o local, encontrando o corpo da vítima ao lado do carro. Eles também localizaram a faca e o martelo usados no crime, mas desconfiaram da versão do suspeito. Isso porque o carro dele estava atolado no barro e não havia qualquer sinal dos supostos sequestradores.

Na delegacia, César acabou confessando que havia se casado recentemente e sua esposa estava grávida de oito meses, mas a amante também engravidara e não consentia com o aborto. Ele temia que a esposa o deixasse ao saber da traição. O homem foi indiciado por feminicídio - homicídio praticado contra a mulher em razão da condição de sexo feminino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

o