sexta-feira, 23 de junho de 2017

Evangelho segundo S. Lucas 1,57-66.80.



Naquele tempo, chegou a altura de Isabel ser mãe e deu à luz um filho.
Os seus vizinhos e parentes souberam que o Senhor lhe tinha feito tão grande benefício e congratularam-se com ela. 
Oito dias depois, vieram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome do pai, Zacarias. 
Mas a mãe interveio e disse: «Não, Ele vai chamar-se João». 
Disseram-lhe: «Não há ninguém da tua família que tenha esse nome». 
Perguntaram então ao pai, por meio de sinais, como queria que o menino se chamasse. 
O pai pediu uma tábua e escreveu: «O seu nome é João». Todos ficaram admirados. 
Imediatamente se lhe abriu a boca e se lhe soltou a língua e começou a falar, bendizendo a Deus. 
Todos os vizinhos se encheram de temor e por toda a região montanhosa da Judeia se divulgaram estes factos. 
Quantos os ouviam contar guardavam-nos em seu coração e diziam: «Quem virá a ser este menino?». Na verdade, a mão do Senhor estava com ele. 
O menino ia crescendo e o seu espírito fortalecia-se. E foi habitar no deserto até ao dia em que se manifestou a Israel. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

o