terça-feira, 16 de maio de 2017

ALERTA.

Tercilio Turini alerta para risco de fechamento da Farmácia Popular

O fechamento de unidades próprias do programa Farmácia Popular vai reduzir a quantidade de medicamentos gratuitos e subsidiados à população, principalmente aos mais pobres, colocando em risco a saúde dos doentes que precisam dos remédios. É o alerta do deputado estadual Tercilio Turini sobre a decisão do Ministério da Saúde de suspender o repasse de recursos a estados e municípios para manutenção da estrutura física de 393 farmácias em atividade no país.

“Prefeitos e vereadores precisam se mobilizar para manter em funcionamento as unidades da Farmácia Popular. É um serviço essencial, que fornece 112 medicamentos de forma gratuita ou com desconto de 90% no preço”, destaca Turini. Caso se confirme o fechamento da rede própria, as pessoas deverão procurar farmácias conveniadas, que oferecerão apenas 32 medicamentos. “É muito grave. Os doentes deixarão de ter acesso a 80 remédios, ou terão de pagar bem mais caro pelos produtos”, ressalta o deputado.

Comunicado publicado em 13 de abril no site do Ministério da Saúde informa que “os critérios para repasse financeiro aos estados e municípios onde funcionam as unidades próprias do Programa Farmácia Popular do Brasil - PFPB estão sendo redefinidos”. Mais adiante, acrescenta: “Desta forma, além das unidades básicas ou postos de saúde, a população poderá procurar uma farmácia ou drogaria credenciada ao Aqui Tem Farmácia Popular.”

Tercilio Turini entende que, mesmo confirmado o corte de recursos para manutenção das estruturas físicas, as prefeituras devem buscar alternativas para manter as unidades próprias da Farmácia Popular. “O programa tem grande alcance especialmente para pessoas de baixa renda, por sinal aquelas que enfrentam as maiores dificuldades com a crise econômica do País. É um absurdo o Ministério da Saúde suspender o repasse. No entanto, os prefeitos precisam priorizar o funcionamento da Farmácia Popular e garantir os medicamentos à população”, analisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

o